As almas que se cruzam mundo afora

as almas que se cruzam mundo afora blog soul do mundo

Quando viaja-se constantemente sozinho, descobrimos que, na maioria das vezes, a jornada não é solitária. Em tantos solos que já pisei, eu me conectei e dei Adeus à inúmeras pessoas que fizeram meu dia mais colorido. Eu não sei bem o que acontece para essa conexão breve ser tão forte. Se é a solidão, a saudades de casa, ou se é porque o propósito deles é o mesmo que o seu. Mas existem pessoas que em minutos ou segundos, com pequenos gestos, são capazes de te tocar de uma forma tão genuína, que deixam marcas mais profundas que amigos de anos.

Essas pessoas, para mim, são várias. Foi aquele homem que me ajudou à carregar a mala, pelos intermináveis degraus das escadarias do metro de Paris, à meia noite, depois de 23 horas de viagem. Foi a pessoa que me cobriu com uma manta, enquanto eu dormia, em uma noite gelada no aeroporto da Polônia. Foram as vendedoras de uma loja em Buenos Aires que prestaram socorro e me ofereceram abrigo, após ser assaltada.

as almas que se cruzam mundo afora blog soul do mundo 1

A vovó, dona de uma sorveteria em Dublin que me convidou, sem me conhecer, para passar a tarde com ela e os netos na beira da praia, em um dia de sol. O rapaz em Sevilha, na Espanha, que me socorreu no quarto do hostel quando estava delirando e com 40 graus de febre.  O homem que me deu um sanduíche do Subway, para pagar no dia seguinte, depois do meu cartão ser engolido pelo caixa eletrônico e não ter absolutamente nada na carteira para pagar o jantar daquela noite. O garçom que deu um doce sorriso, de presente, em um dia nublado em Ushuaia, quando eu estava sozinha e triste por estar indo embora.

A moça que me viu sozinha numa praça na Irlanda, em meio às lágrimas, por conta da saudade de casa, e me ofereceu um abraço. O pianista da Grafton Street que embalava minhas manhãs frias e nubladas em Dublin, e que em um certo dia me convidou para tocar algumas notas, porque reparou que eu passava por lá todos os dias, e sempre ficava estática, por alguns minutos, o ouvindo tocar.

Esse texto é uma homenagem à esses “amigos de percurso” que fiz – mesmo que por alguns segundos, em algum canto do mundo -, na esperança de que algum dia esse agradecimento possa chegar à eles. Eu não lembro seus nomes, tampouco sei algo sobre suas vidas pessoais. Mas, as vezes, penso neles. Sempre com apreço e gratidão. Eles me estenderam a mão. Fizeram com que eu me conectasse com o país, com a cultura, com a alma deles.

Eles não fazem ideia da diferença que um sorriso em meio à multidão faz, quando se está sozinho. Tampouco tem a noção do medo que passei para enfrentar alguns desses desafios por conta própria, e quão acolhedor foi ter recebido ajuda de completos desconhecidos. Mal sabem que dividir o peso da mala, tão somente faz bem para a coluna, mas também para o coração. Mal sabem como foi bom ser acolhida, de braços abertos, longe de casa. Mal sabem eles que fizeram minhas viagens valerem a pena e que me tocaram de tal modo que tornaram-se perpétuos para mim.

obrigado soul do mundo blog.png

Um eterno obrigada à esses seres iluminados que restauraram a minha fé na humanidade.

21 comments

Add Yours
  1. Lisete Reis

    Estou emocionada de verdade em ler esse post. Que coisa mais linda e verdadeira, senti muita identificação com as suas palavras! Fiz recentemente minha primeira viagem sozinha e foi aí que comecei a ter essa nova perspectiva, de ter relações fortes e breves, com pessoas que talvez eu jamais reveja novamente, mas que sempre serão lembradas com carinho. Obrigada por compartilhar esse texto ❤

    Curtir

    • Polyana Rech

      Olá Lisete.

      Agradeço pelas doces palavras! Ler isso é um ótimo incentivo à continuar escrevendo. O começo do blog é sempre uma incógnita! Seja bem-vinda.
      Dei uma espiada no teu blog e é lindo. Lerei com calma essa semana alguns de seus posts. Mas pelo que vi, somos parceiras de histórias. Na semana seguinte, começaremos à compartilhar resenhas, textos e emoções sobre literatura também. Sessão que será cuidada pela Patrícia.
      Um abraço e até a próxima. Agradeço novamente. ♡

      Curtir

      • Lisete Reis

        Sei como é, por isso mesmo que não consigo ler algo tão maravilhoso e ficar quietinha. ❤ Obrigada por ter ido dar uma olhadinha no meu blog também 🙂 Fico no aguardo das próximas aventuras por aqui. Até mais!

        Curtir

  2. Pilar

    Muy lindas anecdotas, gracias por compartirlas, muy cierto todo, muchas veces uno no imagina en que lugares mas distintos va encontrar personas tan calidas y especiales en su trato cotidiano, yo llamo a ellos « angeles» que siempre tocan el alma …para renovar nuestra confianza, esperanza de un mundo mejor 😆

    Curtir

  3. Carol

    Belas palavras! Me identifiquei com algumas histórias.. Viajar pelo mundo e fazer amigos que, talvez, nunca mais sejam vistos, nos faz valorizar cada pequeno momento e nos torna cada dia mais cidadões do mundo. Muito lindo!

    Curtir

  4. Lucimar da Silva Moreira

    Que maravilhoso o texto quando se viaja a gente conhece muitas pessoas, umas a gente talvez venha se esquecer, mas tem outras que vão ficar sempre na nossa lembrança. Pessoas acolhedoras vão ter sempre um cantinho guardado no coração, muito bacana o seu texto, bjs.

    Curtir

  5. Thayná do Prado Simão

    Garota, que texto espetacular! Você me fez mentalmente sair daqui de casa e ir até esses lugares com você. Imaginei que eu estava nesses lugares, apenas observando tudo isso que você descreveu ❤
    Continue escrevendo assim!
    Acabou de ganhar uma inscrita (e o meu coração, hahaha)

    Curtir

  6. Tais Burigo

    Oi tudo bem?
    Seu texto está incrível me arrepiou!
    Nunca viajei para fora do Brasil ou até mesmo não viajo muito dentro dele mas deve ser incrível fazer novas amizades por onde vai passando.

    Beijos

    Curtir

  7. Erika Monteiro

    Oie, tudo bem? Que texto mais incrível. Fiquei impressionada com tantas pessoas que você teve contato ao longo das suas viagens. Realmente as vezes não nos damos conta mas eles conseguem transformar um dia nublado num momento tão feliz. Beijos, Érika =^.^=

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s